segunda-feira , 25 maio 2015
Capa / Mundo Piscina / Tratamento de Piscina / Qual cloro você deve escolher para sua piscina?

Qual cloro você deve escolher para sua piscina?

Chegou a hora de clorar sua piscina. Você sabe que a água precisa ser clorada para matar as algas e bactérias que causam doenças.

Já regulou a alcalinidade da piscina e também conferiu o pH da água.

Tudo bem, mas e todo esse palavrório de “cloro orgânico“, “cloro inorgânico“, “cloro estabilizado” o que quer dizer? É preciso fazer um curso de química para entender tudo isso?

Claro que não!

Queremos, com este artigo, que você tenha mais tranquilidade e saiba qual cloro escolher para clorar sua piscina.

Primeiro, vamos separar o que é jargão puramente publicitário, que não quer dizer nada, daquilo que significa uma diferença real:

Cloro atômico

Molécula de cloro
O átomo de cloro é um elemento químico (Cl) da família dos halogênios.

Ele não é encontrado em estado livre na natureza.

O cloro está sempre combinado com outros átomos de cloro (Cl2) ou de outros elementos.

Em sua forma combinada ele forma substâncias químicas como NaCl (cloreto de sódio), KCl (cloreto de potássio) e etc.

Na forma de cloreto, o cloro forma sais e não tem nenhum poder desinfetante!

Cloro molecular (ou cloro gás)

A molécula de cloro é gasosa (Cl2) e foi descoberta em 1774 por Karl W. Scheele, químico sueco, quando aqueceu óxido de manganês em ácido clorídrico.

Durante algum tempo ele foi conhecido como “gás de Scheele”, deu muito trabalho a grandes químicos como Bertholet, Lavoisier, Gay-Lussac, Berzelius, Therrard, quanto à sua composição, até que em 1810, Davy comprovou que se tratava de uma substância formada por um único elemento químico, o mesmo que no ácido clorídrico estava combinado com o Hidrogênio (HCl).

Gás de cloroDavy propôs o nome de cloro, a partir do grego (verde, verde amarelado ou amarelo esverdeado) que descrevia a cor do gás em questão.

Scheele já observara que o gás cloro era solúvel em água, que tinha um efeito branqueador permanente em papel, vegetais, flores e que reagia com metais e óxidos metálicos.

Essas foram as aplicações do produto até o início do século XX quando passou a ser utilizado também para desinfecção de água potável.

O cloro (gás), em reação com a água, produz o ácido hipocloroso – o verdadeiro oxidante e desinfetante que é útil em piscinas.

Quimicamente, esta é a substância química cloro, uma molécula formada por dois átomos de Cloro (Cl – Cl), da mesma forma que temos a substância química oxigênio (O2), formada por dois átomos de Oxigênio e, ainda, o hidrogênio (H2).

Posteriormente, descobriram-se ou desenvolveram-se outras substâncias que podiam reagir com a água e também dar origem ao mesmo ácido hipocloroso que o cloro gás produz. Essas substâncias passaram a ser chamadas, impropriamente, de “cloro líquido”, “cloro em pó”, “cloro granulado”, pois tinham a capacidade de substituir o cloro gás em seus diversos usos.

Isso explica porque, embora só o Cl2 (gás) seja o verdadeiro cloro, outros produtos que dão origem ao ácido hipocloroso em reação com a água são comumente conhecidos no comércio como “cloros”.

Cloro orgânico e inorgânico

Cloro orgânicoA Química divide as substâncias em inorgânicas, aquelas que são formadas por elementos do reino mineral, como compostos de ferro, zinco, manganês (como óxidos, sulfatos, carbonatos), e as orgânicas, formadas pela combinação de carbono com hidrogênio, nitrogênio, enxofre e fósforo, que, acreditava-se no passado, eram exclusivas dos seres vivos (isto é, formavam as células dos órgãos de animais e vegetais).

Temos como exemplos de produtos orgânicos o álcool, o ácido acético, a acetona, o éter e vários outros…

Sob este aspecto da Química classificaríamos o cloro gás, o hipoclorito de sódio e o hipoclorito de cálcio como cloros inorgânicos e o dicloro (dicloro isocianurato de sódio) e tricloro (tricloro-s-triazina-triona) como cloros orgânicos, o que, por si só, não quer dizer nada, isto é, continuam reagindo como cloro na formação do ácido hipocloroso e nada mais.

Aqui parece-nos que a principal idéia por trás desta classificação se prende mais ao apelo parasitário de marketing, isto é, ´pegar carona` na onda do produto orgânico, tão em pauta atualmente (agricultura orgânica, medicamentos naturais – orgânicos), ou na onda verde (ecologicamente correto), o que, na verdade, está mais para propaganda enganosa, já que estamos falando de cloro, que, apesar de desinfetar a água, preservar a saúde e salvar vidas, sob qualquer ponto de vista, é um produto químico oxidante e perigoso para a saúde!

Cloro estabilizado e cloro comum

Agora a coisa muda de figura.

Cloro estabilizado tem um significado importante porque descreve o produto que libera, em reação com a água, o composto desinfetante ácido hipocloroso, e também o ácido isocianúrico, um estabilizante do cloro, propriedade que os “cloros comuns” não têm.

A importância da estabilização do cloro

Cloro estabilizadoA água de uma piscina pode perder mais de 90% de todo seu residual de cloro em apenas 3 horas de sol. Isso quer dizer que você pode colocar cloro comum em sua piscina achando que ela vai permanecer protegida contra contaminações e depois de algumas horas ela (e todos seus usuários) estarão desprotegidos.

Quando o estabilizante de cloro (ácido isocianúrico ou tri-hidroxi-s-triazina) está presente – com apenas 50 partes por milhão – numa água exposta ao sol, a decomposição do residual de cloro livre causada pela luz ultravioleta do sol é reduzida em 70% ou mais.

Por isso faz sentido estabilizar a piscina com o estabilizante de cloro no início do tratamento (com 50 ppm) e utilizar um cloro estabilizado para fazer a cloração diária.

Desta forma a reposição do estabilizante na água – perdido junto com a água de retrolavagens, transbordamentos, carregada no corpo por banhistas – é feita automaticamente e a estabilização é mantida por todo tempo.

Além da segurança sanitária de manter a presença do cloro na água o dia todo, utilizando cloros estabilizados você terá economia de cloro, de corretivos para equilibrar o pH e a alcalinidade e da mão de obra envolvida.

Cloração contínua automática

Outra vantagem do cloro estabilizado em tablete. As propriedades físico-químicas dos tabletes de cloro estabilizado permitem sua utilização em cloradores mecânicos automáticos, sem qualquer uso de energia elétrica, para clorar piscinas de duas formas interessantes:

Cloradores flutuantes

Clorador flutuanteOs tabletes são colocados dentro do clorador e o mesmo é posto para flutuar na piscina.

A água penetra em seu interior pelos orifícios submersos, dissolve lentamente os tabletes de cloro e difunde sua solução por toda a piscina, num processo continuamente renovado que a mantém clorada o tempo todo.

Nós recomendamos fortemente a utilização de cloradores flutuantes em sua piscina. É uma dica para manter sua piscina cristalina e saudável o ano todo!

Os banhistas ficam protegidos do contato com o cloro porque a câmara que contém os tabletes é toda fechada em sua parte aérea.

Conforme o modelo de clorador flutuante é possível obter-se de 1 semana a até meses de cloração contínua automática com apenas uma carga de tabletes de cloro estabilizado em piscinas residenciais com até 100.000 litros de água.

Dosadores de cloro

Dosador de cloroOs dosadores em linha são instalados como parte da tubulação por onde a água circula antes de retornar para a piscina, após o filtro (e aquecedor, se houver), longe dos olhos e alcance dos banhistas.

Os tabletes de cloro são colocados dentro do clorador, que em seguida é fechado por uma tampa, e, quando a motobomba é ligada, a água, circulando em seu interior, vai dissolvendo lentamente os tabletes e voltando clorada para a piscina.

A continuidade do processo mantém toda a piscina clorada automaticamente.

Os dosadores em linha são adequados para cloração de piscinas tanto residenciais como coletivas com até 1.000.000 de litros, mas também múltiplas unidades podem ser combinadas para clorar piscinas ainda maiores.

Controle da cloração

Qualquer que seja o tipo de aplicação do cloro, manual ou automático, o controle da cloração precisa ser diário. Deve-se fazer análise diária da água, ou até de hora em hora em piscinas coletivas muito utilizadas, e tomar as medidas corretivas sempre que necessárias para manter o residual de cloro livre sempre entre 2 e 4 ppm.

Essas medidas podem ser:

-adicionar mais cloro imediatamente;
-aumentar a dosagem na próxima adição;
-regular o clorador para liberar quantidade maior de cloro ou aumentar a dosagem na próxima recarga do clorador e etc.

Quanto a mais custa o cloro estabilizado?

Por incrível que pareça, o cloro estabilizado granulado hoje em dia custa praticamente o mesmo preço que o cloro granulado não estabilizado.

Quer dizer que, fazendo-se a conta quilo por quilo, o cloro estabilizado é sempre mais econômico do que o cloro comum.

Consulte a diferença no seu revendedor de produtos para piscinas.

Enfim, como você pode ver, os cloros estabilizados, pela economia, segurança e sistemas de dosagem que oferecem, constituem-se atualmente na opção mais moderna e inteligente para cloração de águas de piscinas.

Ameaças ao poder desinfetante do cloro

Algas e bactérias mortos somam-se às impurezas químicas (orgânicas) já mencionadas e esse conjunto, se acumulado na água, passa a lhe transmitir aspecto desagradável como viscosidade, opacidade, e a atrapalhar o processo de desinfecção, servindo de alimento para novos microorganismos.

Confira nosso pequeno artigo sobre fatores que prejudicam a limpeza da piscina.

Cloro de piscinaOutras impurezas químicas, aquelas que contêm nitrogênio de origem amoniacal (orgânico ou inorgânico), como suor, urina, aminoácidos, sais de amônio, entre outros, reagem com o cloro livre, consumindo-o, e dando formação ao cloro combinado, que, para efeitos práticos, não tem poder desinfetante em águas de piscinas.

Porém, o cloro combinado, também chamado de cloramina, tem cheiro forte “de cloro”, é irritante aos olhos e mucosas dos usuários e, em geral, é interpretado pelos banhistas como “excesso de cloro na água”.

É aqui que se forma a grande confusão: cloro livre não tem cheiro, mesmo em residuais de 20 ppm; cloro combinado exala cheiro forte e irritante a partir de 0,1 ou 0,2 ppm.

Não há possibilidade de impedir a formação de cloro combinado, porque a manutenção de residual de cloro livre é necessária e obrigatória; o uso da água por banhistas – que contribuem com a maior parte do material amoniacal – é o objetivo e finalidade da piscina; mesmo sem uso, a água recebe continuamente outros contaminantes através do ar, ventos, chuvas e da água de reposição.

Também já falamos detalhadamente em um outro artigo como resolver o problema do cheiro forte de cloro na psicina. Não deixe de conferir!

Qual cloro escolher afinal

E agora? Já sabe qual cloro escolher para sua piscina? Qualquer dúvida que tenha ficado, deixe nos comentários pra gente ok?

Esperamos que tenham gostado da explicação de cada tipo de cloro e que agora você possa escolher melhor o cloro para sua piscina!

Adicione nosso site em seus favoritos e se quiser passar a palavra adiante, compartilhe nas redes sociais usando os botões abaixo!

Grande abraço e até a próxima!

Curtiu o artigo? Deixe seu "Like"!

Sobre Rafael Lacerda

Rafael Lacerda é técnico em Biotecnologia, trabalhou com piscinas mais de 12 anos e compartilha o que aprendeu aqui no blog da Sistema Manutenções. Atualmente trabalha com criação de sites para micro e pequenas empresas na Agência Sete Clave. Se você tem alguma dúvida com relação a piscinas, deixe na sessão de comentários do site que em breve será respondida. Se você gostou deste site e quer criar um site para você ou sua empresa, fale com o Rafael.

83 comentários

  1. OLA UMA PERGUNTA è MELHOR USAR DICLORO O CLORO?EU SEMPRE USEI CLORO HTH MAS AGORA ELE SUBIO MUITO DE PRECO E NA LOJA TEM ESSE DICLORO LIPE A UM PRECO BEM MELHOR. MAS NO FINAO ESTOU USANDO O PRODUTO CORRETO? O è MELHOR VOLTAR A USAR CLORO HTH?OBG

    • Olá Miguel! Eu sempre recomendo a utilização de produtos clorados a base de Dicloro. Geralmente rendem mais na piscina e agem por mais tempo. Mas é questão de opinião. Sugiro que experimente-o na sua piscina. Se puder, volte aqui para nos contar como foi!

  2. Bom dia Rafael.
    A princípio quero te agradecer por manter um canal de dicas e auxílio aos tratadores e proprietários de piscinas.
    E parabéns pelas dicas.
    Vamos ao meu caso.
    Tenho uma piscina de vinil com medidas semi-olímpicas e profundidade média de 1,30 , com litragem de 406250 litros, muito utilizada diariamente (média de 120 alunos/dia).
    Há oito anos uso o Dicloro Estabilizado Hidroazul, sem nenhum problema.
    Recentemente fiz a troca do bolsão vinílico e em dezembro de 2014, enchi a piscina com água de nascente (do mesmo local que usei anteriormente). Como aqui em minha cidade quase não houve chuvas, minha água que estava cristalina e muito equilibrada, quase não foi trocada, e acho que isso ocasionou a super estabilização do cloro. Fiz contato com a Hidroazul e com a HTH, e fui orientado, por essa última, a utilizar a fita teste da HTH, que faz a conferência da quantidade de ácido cianúrico presente na água. Só que a fita teste não existe no comércio de minha cidade, nem próximo. Então a orientação foi de que eu deveria reduzir a quantidade de água em 40%, pois o ácido não se dissipa. Fazer a colocação da nova água e regular Ph, dar um choque de cloro e decantar com Sulfato de alumínio.
    Fiz praticamente tudo isso, só que meu medo de dar errado, me fez retirar, não apenas 40% da água, e então retirei mais de 60% da água. Fiz todos os procedimentos e minha água continua turva e verde. Fiz a super cloração à noite (com dicloro hidroazul) e de manhã o teor de cloro era zero e o Ph, estava em 7.2, mesma medida da noite anterior, mesmo eu tendo colocado 10 quilos de barrilha à noite.
    Isso aconteceu de ontem dia sete de maio para hoje, oito de maio (2015).
    Hoje, recebi, de um amigo, a orientação de que deveria fazer um super choque de hipoclorito ( 5 baldes) para que o cloro tivesse atuação. Achei absurda a ideia, mas confesso que estou sem saber o que fazer, já que estou há uma semana sem poder dar aula em minha piscina.
    Acredito que essa super estabilização pode ser reduzida com a troca da água constantemente, mas para o momento, o que devo fazer?
    Minha piscina é descoberta, não tem aquecimento, mas é medida em seus parâmetros diariamente, menos com relação ao Ácido Cianúrico, pois não tenho acesso à fita teste.
    Antecipadamente agradeço.

    • Eduardo, bom dia!
      Muito obrigado pelo apoio e me perdoe pela demora em responder! Os dias tem sido super corridos por aqui…
      Vamos ao seu caso…
      Na minha opinião, o que pode estar atrapalhando é a alcalinidade. Caso você adicione a barrilha e o pH não suba, muito provavelmente sua alcalinidade está desregulada. É somente um palpite pois não sei exatamente a situação da piscina…
      Com relação à super estabilização do cloro, também na minha opinião, é um mito! Penso assim pois nos vários anos que trabalhei com piscina nunca tive problemas com excesso de ácido cianúrico e, como se não bastasse, em outros países eles aceitam valores extremamente superiores deste composto na água sem nenhum problema! Então, não jogaria esta quantidade de água fora…
      Recomendo a leitura do texto onde explico por que não utilizar Sulfato de Alumínio. Recomendo também a instalação de um método de desinfecção auxiliar como o Pool Clean ou o gerador de ozônio. Tratar uma piscina com este dimensão somente à base de cloro é complicadíssimo!
      Verifique a alcalinidade da piscina, e caso não seja este o problema, recomendo que experimente mais duas ou três vezes (no mínimo) elevar o nível do pH. Lembre-se que a proporção de utilização da barrilha é extremamente elevada! Ou seja, usa-se muita barrilha para elevar o pH da piscina. Se não me engano pode passar de 40 ou 60g para cada mil litros… Ou seja, para sua piscina você poderia usar mais de 15 Kgs facilmente!

  3. Olá, boa noite. Comprei uma piscina intex estrutural, montável, de 16800l junto com um clorador e algumas pastilhas Genco (3 em 1, está escrito: cloro estabilizado, clarificante e algistático) de 200 gramas. Irei encher essa semana, então as dúvidas apareceram:
    1) Coloco a pastilha inteira ou quebro no meio (deixando 100 gramas)?
    2) Deixo todo aberto o clorador (possui regulagem para 4 posições de abertura) ou não?
    Quero tratar a água por que trocar ela constantemente seria um grande desperdício (16800 litros).

  4. Ola! Gostaria de saber se vc ja testou a marca Limper, de cloro pra picina. Eu sempre usei a Hidrosan Penta, mas é a mais cara no mercado, e queria saber se é a mais cara, pois é a melhor ou simplesmente por questao de mkt! O vendedor quis me vender agora essa marca Limper, dizendo que é a melhor, e esta mais barata, pois é nova no mercado. Vc pode me ajudar?? obrigada

    • Quanto ao cloro Limper infelizmente não saberei te informar pois nunca o utilizei e nem ouvi falar… Entretanto o Hidrosan definitivamente não é o cloro mais caro do mercado! Em geral, os cloros da Genco e da HTH são mais caros que o Hidrosan. Se prefere o Hidrosan, basta procurar e vai achar dele mais em conta que outras marcas ok?

  5. Inicialmente parabéns pelo excelente trabalho, muito da minhas dúvidas foram sanadas aqui!
    Gostaria de saber se há algum impedimento em usar a pastilha de coloro no pré filtro em vez do flutuado? Obrigado

  6. Olá, Rafael!
    Comprei uma piscina de plástico da marca MOR, 5.000 litros. No manual diz que só pode usar cloro líquido (hipoclorito de sódio) na medida de 15ml a cada 1.000 litros de água, não pode usar pastilhas nem granulado, para não danificar a lona da piscina.
    Comprei um litro de hipoclorito de sódio 1%. É eficaz utilizar somente este tratamento para que a água se mantenha sempre limpa?
    OBS: a piscina vem com filtro elétrico.
    Obrigada!

    • Bom dia Agatha!
      A preocupação dos fabricantes é com o contato direto do cloro com a piscina. Isso pode ser evitado diluindo completamente o produto antes de adicioná-lo na água. Entretanto, fica a seu critério utilizar ou não, estes produtos que o fabricante não recomenda… Pensando somente no tratamento da piscina, não há mal algum! Mas vale lembrar que provavelmente você perderá a garantia se resolver usar estes tipos de cloro que a MOR não recomenda…

  7. boa noite poderia me ajudar tenho uma piscina de fibra de 2000 mil litros ela fica sob o piso não tenho filtro nem bomba gostaria de saber como faço o procedimento para ter a agua limpa para uso pois sem sabe cuidar tenho que estar trocando sempre se eu usar o hidrosan 5em1 seria o suficiente e se for quanto uso para essa quantidade de agua por favor me ajuda

  8. isaac roberto volpati

    ola boa tarde,começei a cuidar de um piscina de condominio de 270 mil litros e muito frequentada,alem da mesma ser aquecida,ela fica a ceu aberto,tada segunda feira fica fechada porém fiz um choque de cloro e depois de uma hora não tinha nem vestigio de cloro segunda a medição,o ph e a alcalinidade esta normal qual seria o problema e se devo usar o10 em 1 da hth,estou usando o cloro granulado tradicional da hth.

  9. ola tudo bem ? tenho ouvido se falar muito de tratamento com ozônio ,qual seria o tamanho do aparelho a ser usado em uma piscina intex de 4650 litros e como ser usado ? pq dependendo do valor compensa mais do que gastar com cloro , e sem falar em ganho de vida e saude por o ozônio nao fazer mal ,,,,,,,desde ja agradeço muito obrigado

    • Reginaldo, bom dia!
      Existem várias marcas de equipamentos que tratam a água com a adição do ozônio. Nós somos representantes da Brasil Ozônio, que é a empresa líder no mercado de grandes instalações. Entretanto, para piscinas menores, eu recomendo que você verifique outras marcas pois possuem um valor reduzido e pode te atender bem. Não saberei te falar qual o modelo, ou o tamanho do equipamento…

  10. Bom dia..

    Gostaria de saber , se esse cloro que usamos em casa para limpeza pode ser colocado tambem na piscina para limpeza da agua , se é prejudicial a saude e de quanto em quanto tempo pode ser colocado e quantidade para uma piscina de 2.800 litros

    obrigada ….

  11. boa tarde.
    Suas dicas são excelentes, espero que também possa me ajudar!
    Temos uma piscina plastica da Mor de 6200 litros retangular
    Existe necessidade de se colocar cloro granulado dicloro e cloro em pastilha tricloro ao mesmo tempo? O vendedor de uma loja de artigos para piscina me orientou a usar 6 g por 1000l 2 x por semana a noite, além de usar a pastilha dentro do suporte para cloro que fica constante na piscina, sendo retirado somente quando entramos na piscina. Além desses dois produtos, compramos o clarificante e o algicida.
    Muito obrigada

  12. Bom dia,
    Excelente o site e as explicações!
    Tenho uma piscina pequena, cerca de 8.000 litros, que está com excesso de ácido cianúrico. Os demais parâmetros estão regulados, entretanto, a água está turva e opaca. A única maneira de resolver este problema é trocar a água? Devo trocá-la apenas parcialmente? Se passar a utilizar cloro não estabilizado e não trocar a água, diminuirá a concentração do ácido cianúrico (já que ele é um composto estável)? Este ácido é prejudicial à saúde? Muito obrigada!

    • Boa noite Simone! Obrigado pelo contato!
      São vários os fatores que levam a piscina à ficar opaca. Recomendo que leia nosso artigo onde falamos exatamente sobre a água da piscina opaca. Dentre estes fatores, o ácido cianúrico é o que ocorre com menor frequência.
      De qualquer forma, recomendo que suspenda a utilização de qualquer composto clorado estabilizado (Dicloros e Tricloros) e passe a utilizar hipocloritos, por exemplo. Adicionalmente poderá utilizar um produto oxidante na piscina, como o Oxiall, da Hidroall, por exemplo. Não resolvendo, aí sim, deverá repor 30% da piscina com água nova. Mas, confie em mim: muito provavelmente seu problema não é o ácido cianúrico.
      Até porque a quantidade aceitável deste ácido na piscina varia de acordo com o país. Em países desenvolvidos eles estão acostumados a lidar com valores acima de 200!!!
      Respondendo sua última pergunta: não, o ácido cianúrico na piscina não é prejudicial para saúde ok?
      Bom, é isso. Qualquer dúvida que persistir, continuo à disposição!

  13. Bem interessante as tuas informações. Só uma correçãozinha básica, para melhorar o material: amônia (de fórmula NH3) não é um composto orgânico, pois nem carbono tem em sua composição. Um abraço.

  14. Boa tarde, toda vez que coloco cloro na piscina a água fica verde, pois a minha água é de poço artesiano, alguém sabe algum tipo de cloro q não reage com água de poço artesiano?

    • Olá William! Muito bom dia e obrigado pelo contato. Recomendo a utilização de algum método de desinfecção para auxiliar o cloro no tratamento de sua piscina. Atualmente temos além de ionizados e ozonizadores, o sistema de desinfecção ultra-violeta. Como o Pool Clean, por exemplo. Com um método auxiliar, dificilmente sua piscina ficaria com esta tonalidade verde novamente. Na pior das hipóteses, instale um clorador automático para diminuir a necessidade de adição manual de cloro e deverá perceber a melhora…
      Bom, espero ter ajudado… Grande abraço e volte sempre!

  15. Olá ,meus parabéns pela experiência,paciência e gentileza ao responder as duvidas aqui postadas que são de grande importância para nós que temos uma piscina para cuidar e não temos experiência ,eu tenho uma piscina de vinil com 16.000 litros e tenho instalado um gerador de ozônio da Q1 25 ,gostaria de saber qual o valor que tenho que deixar o cloro residual livre por ter o gerador de ozônio, ou não tem nada a ver , e qual é o cloro mais indicado ? é o estabilizado? somente cloro, ou é melhor aqueles 3 em 1 ou 5 em 1 ,e qual é a quantidade de cloro devo dosar na piscina e com qual frequência sendo que tenho o gerador de ozônio ,pois todo dia após a filtragem da água fica resíduos verdes no fundo da piscina a água parece estar transparente mas o fundo esta sujo esverdeado,mesmo eu aspirando drenando e após terminar a filtragem volta a ficar resíduos, você me indicaria um flutuador com pastilhas ou não, pois tenho medo de danificar o vinil , pois já não sei mais o que fazer me ajude por favor ,agradeço desde já,abraços fique com DEUS.

    • Obrigado pelo comentário Vladimir! São pessoas como você que me incentiva a continuar este trabalho!
      Bom, quanto ao valor de cloro a deixar na piscina, recomendo que você solicite à empresa que lhe forneceu o gerador de ozônio. De forma geral, é interessante que se mantenha pelo menos 1ppm de cloro na piscina. Trabalhando em conjunto com o cloro, o ozônio deixa a piscina radiante! Entretanto você não deve ter problemas se este patamar cair para pouco menos de 0,5ppm da cloro…
      O cloro fica por sua escolha Vladimir. De acordo com os pros e os contras apresentado no artigo, recomendo que faça sua escolha e avalie a resposta da piscina ok? A quantidade de cloro não posso definir pois cada caso é um caso, mas com o ozônio você tem grande liberdade até de errar para menos!

      Quanto à sujeira no fundo da piscina, recomendo verificar a necessidade de troca da areia do filtro da piscina, Vladimir. Pode ser um sinal mostrando que sua vida útil já está no fim…

      Qualquer dúvida continuo aqui à disposição ok?

  16. Boa tarde Rafael, tudo bem?,
    comprei uma piscina de 14141 Lt (redonda marca Intex), gostaria de saber exatamente o tipo de cloro adequado e o que preciso fazer para manter ela sempre cristalina. Devo utilizar algum flutuador? Qual tamanho da pastilha? Como sou a responsável pela manutenção quero saber o correto agora, para evitar transtornos depois.
    Obrigada

  17. Olá.

    Pretendo usar uma banheira de hidromassagem, mas não me sinto seguro quanto a germes (ou mesmo esperma) na água, na superfície e — PRINCIPALMENTE — na tubulação, que certamente é de cobre.

    Comprei um baldinho de 300 g de sódio-dicloro-s-triazina-triona 65%, e a recomendação para piscinas de vinil (e não metálicas, não é mesmo?) é de usar 3-5 g por 1000 litros e deixar por meia hora. Isso resolveria meu problema para desinfetar a banheira se não fosse o fato de que não sei se a tubulação de cobre vai reagir com esse cloro. Tenho o temor de que vá. Meu plano era deixar recirculando o cloro na concentração recomendada durante meia hora, drenar a banheira toda (nesse ponto a tubulação estaria desinfetada, que é o que me preocupa) e então enchê-la de novo com água não tratada.

    Você vê algum risco em deixar dicloro-triazina recircular meia hora em tubulação de cobre? Minhas pesquisas na Web não deram em nada. Qualquer ajuda é bem-vinda.

    Valeu,

    JP

    • João Paulo, o cloro reage fortemente com o cobre! Sendo assim, O IDEAL seria NÃO utilizá-lo!
      Entretanto, se a quantidade de cloro ficar menor que 2ppm, a ação do cloro no cobre é bem reduzida, mas AINDA ASSIM ela existirá!
      Poderá substituir a tubulação, dependendo do seu caso, por PVC para água quente… É uma possibilidade…

      • Rafael, primeiramente agradeço a resposta — e a rapidez da resposta!

        Mas veja: a banheira não é minha, é do hotel onde ficarei. A tubulação já é de cobre, não dá pra trocar. Imaginei que cloro reagiria com cobre (formando CuCl2, suponho) — mas veja que perguntei se há risco. Leia-se: há formação de gases tóxicos? Há diluição de alguma substância corrosiva na água? É desse tipo de risco que falo, risco à saúde e à segurança.

        Admito que não seja lá muito gentil com os proprietários que eu cause uma certa corrosão no cobre, mas imaginei, também, que tal corrosão ficaria limitada à superfície interna dos tubos, especialmente se o tempo de atuação for de apenas meia hora.

        Se eu usar 5 g para 1000 litros, você vê algum risco à saúde? Vê algum dano grave se houver recirculação durante apenas meia hora, seguida de drenagem? E, tão importante quanto isso — será eficaz para eliminação de germes? (Imagino que seja complicado responder na falta de mais dados, sem acesso às instalações etc. Só pergunto porque, sendo seu conhecimento maior que o meu, posso estimar melhor o quanto eu erro ou acerto, mesmo sem fazer da resposta algo definitivo.)

        Ideias?

        Valeu,

        JP

        • 5g para 1000 Litros é muita coisa para uma banheira limpa e abastecida com água tratada (que, vale lembrar, já vem com cloro!). Recomendo no máximo 3 ~ 4g!
          Não há risco para sua saúde se a concentração não passar de 3ppm ok? Quanto à gases, está tranquilo, nada de gases nocivos a você, somente ao cobre da tubulação…
          Mas sinceramente, eu conversaria com o responsável pela limpeza das banheiras para evitar tanto esforço… Espero ter ajudado!

  18. Por favor, gostaria de saber qual cloro e o mais indicado para utilizar em uma piscina desativada que acumula água da chuva no fundo. Tenho duas marcar que seria cloro granulado para piscina 3 em 1 Sódio-dicloro-s-triazina-triona, e cloro granulado para piscina hipoclorito de sódio ativo 65%. Atualmente utilizo o cloro ativo 65% (supercloração) tratamento de choque para evitar presença de larvas de mosquitos.
    Enfim qual devo usar ate reformar o local e evitar este acumulo de água que não é utilizado!
    Obrigado

    • Márcio, bom dia! O Hipoclorito age com maior rapidez porém o dicloro é estabilizado e durará mais tempo. Esta é de fato a diferença básica. Acho que vale pensar em tampar a piscina para impedir o acúmulo de água e evitar assim a necessidade de colocar cloro. Grande abraço!

  19. Boa tarde, possuo uma piscina de 280mil litros de água no ambiente fechado, gostaria de saber, quais são os riscos de usar Hipoclorito de Sódio 12%. Obrigado

    • Olá Rodrigo! Muito boa tarde!
      Pelo que eu sei, o Hipoclorito de Sódio na concentração de 12% é utilizado no tratamento de água em estações de tratamento.
      Verifique na embalagem se seu uso é recomendado para piscinas, mas acho que não é.
      Não sei te informar quais riscos você corre ao utilizá-lo mas, de ante-mão te digo:
      -ele é muito volátil, o que acaba aumentando o custo do tratamento;
      -é líquido, o que dificulta muito seu manuseio e armazenagem
      -não é estabilizado, o que faz com que a atenção com o nível de cloro seja mais constante;
      -existem estudos que mostram que sua utilização gera sub-produtos cancerígenos na piscina.

      Pesquise a respeito e imagino que vai acabar optando pelo dicloro granulado. Espero ter ajudado!

  20. Artur Ribeiro Gudwin

    Olá.
    Minha piscina está com 150ppm de ácido cianúrico.
    Na fita consta como imprópria para o uso, mas já verifiquei que a medida é bastante controvertida na literatura, sendo aceito até 200ppm na Inglaterra e 400ppm em alguns estados nos EUA.
    Vc saberia dizer quais os efeitos prejudiciais do ácido cianúrico nessa concentração?
    De qualquer forma gostaria de baixar a concentração do ácido cianúrico para 50ppm.
    Será que se eu passar a usar somente cloro não estabilizado conseguiria baixa a concentração do ácido cianúrico com o tempo? Qual seria o melhor cloro a ser utilizado?
    Existe algum meio de baixar a concentração do ácido cianúrico com adição de algum produto sem jogar a água fora?
    Valeria a pena eu trocar o meio de desinfecção da piscina para um que não utilizasse cloro? Isso é possível em qualquer piscina?
    Desde já agradeço no que você puder me ajudar!

    • Artur, o excesso de ácido cianúrico na piscina causa o que chamamos de “superestabilização”. Nestas condições, a eficácia do cloro é DRASTICAMENTE comprometida.
      Verifique a qualidade da água, caso não apareçam algas, e a cristalinidade da água não mude, não há com o que se preocupar, quer dizer que o cloro continua atuando satisfatoriamente.
      Para baixar a concentração de ácido cianúrico na piscina, basta passar a utilizar cloros não estabilziados, como o hipoclorito, por exemplo.
      Espero ter ajudado, grande abraço e volte sempre meu amigo!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos necessários estão marcados *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>